ENTENDA A DIFERENÇA ENTRE FACEMATCH, PROVA DE VIDA, BIOMETRIA FACIAL E AUTENTICAÇÃO FACIAL

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Sabemos que ter um sistema antifraude é fundamental para uma gestão de dados segura em qualquer empresa. As tecnologias de combate às fraudes têm se tornado cada vez mais objetivas e assertivas, sendo possível a redução de até 90% de fraudes de identidade com o uso de uma combinação de ferramentas. Dentre essas tecnologias de segurança, as mais conhecidas e utilizadas são o Facematch, a Prova de Vida, a Biometria Facial e a Autenticação Facial. Então pode surgir a seguinte dúvida: qual a diferença entre elas?

Confira:

Facematch

É uma tecnologia de verificação de identidade por IA, que verifica e compara duas imagens, geralmente uma foto selfie com a foto no documento. É baseada em uma outra tecnologia com nome bem mais popular, o reconhecimento facial e já é utilizada em diversos equipamentos básicos como smartphones, caixas eletrônicos de bancos e outros equipamentos de segurança. Essa tecnologia utiliza pequenos detalhes da face do usuário para identificar similaridades entre documento e usuário. Por meio da ferramenta de Onboarding Digital ele oferece seu melhor desempenho, disponibilizando para o usuário o envio da foto do documento que contenha os dados exigidos para cadastro e que possua foto – os mais usados são o RG e a CNH. Ou seja, o sistema solicita ao usuário o envio de uma Selfie, e a inteligência artificial embutida na ferramenta se encarrega de verificar se a selfie enviada e a foto do documento registrado são as mesmas.

Prova de Vida

Como o próprio nome já diz, essa ferramenta é totalmente voltada para provar a identidade do usuário, podendo ser dividida em dois tipos: a Prova de Vida Ativa e a Prova de Vida Passiva. Baseada em algoritmos e IA, foi programada para identificar e aceitar apenas envios que se trate de pessoas reais, evitando o uso de vídeo em alta resolução ou afins para fraudes. Seu sistema é programado para solicitar movimentos pontuais do rosto e identificar quando o movimento estiver acontecendo, como por exemplo, um piscar de olhos, um sorriso, algum movimento de olho etc.

Biometria Facial

A biometria facial quando usada da maneira correta, poderá proteger a empresa de criminosos que tentem se passar por funcionários ou fraudadores de identidade que utilizam documentação falsa para aplicar golpes. Assim como Face Match e a Prova de Vida, ela utiliza a base do usuário como chave para verificação de identidade, dessa vez de forma mais completa, em um comparativo entre foto do documento, selfie enviada e imagens de banco de faces autênticas (públicas ou privadas). Essa tecnologia realiza um comparativo entre selfie, documento e dados armazenados nos bancos de dados do governo (como SERPRO) e bancos privados.

Autenticação Facial

É muito utilizada em ferramentas pessoais como nos aparelhos com desbloqueio de tela via face. Ao contrário da Biometria, a Autenticação Facial não faz um comparativo com um banco de faces do governo, por exemplo, e sim em uma face registrada previamente no sistema. Essa autenticação é utilizada após o cadastro e a verificação de ID, geralmente para desbloqueio de funções dentro de aplicativos. Por isso, ela não é eficiente para verificação de identidade no Onboarding, apenas para posterior conferência entre usuário já cadastrado e quem está tentando entrar no sistema.

Fontes: https://download.acessodigital.com.br/Biometria%20Facial%20e%20Face%20Match.pdf

https://blog.idwall.co/autenticacao-deteccao-e-reconhecimento-facial/

Veja também últimos posts.