Golpes pelas mídias digitais

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Com a pandemia, o número de golpes pelas mídias digitais vêm aumentando cada vez mais. Segundo um estudo da Febraban, a porcentagem de clientes de bancos que sofreram com golpes chegou a 165% no primeiro semestre de 2021, comparando com o ano anterior, sendo os idosos os maiores alvos.

Em entrevista ao jornal, Manhã da Piedade na TV Horizonte, Maria Cristina, diretora comercial, acredita que não existe um serviço que não possa ser feito de forma on-line, mas que para se manter seguro, podemos tomar cuidados e adquirir soluções que evitem esse tipo de transtorno.

Principais golpes aplicados
Existem vários golpes aplicados atualmente e alguns deles são bem conhecidos, o que pode trazer formas de se prevenir para que você não caia. Conheça alguns deles:

•Golpe do falso motoboy: em que o golpista se passa por funcionário do banco e passa a informação que o cartão foi fraudado e pede que o cliente quebre o cartão, mas fique com o chip. Em seguida um motoboy irá buscar este chip.

• Golpe da falsa central de atendimento: o fraudador se passa por um funcionário do banco e liga para o cliente informando que sua conta foi invadida ou clonada, e pede os dados da conta.

•Golpe do link falso: a vítima recebe um e-mail com mensagens e ofertas atrativas, ao clicar no link as mensagens podem instalar vírus ou aplicativos que roubam suas informações bancárias e dão acesso ao criminoso.

Algumas dicas para acessar com segurança seriam: baixar aplicativos que realmente sejam do banco e não realizar downloads de apps enviados por link de e-mail.
Já a Febraban informou que, juntamente de seus bancos parceiros, realiza campanhas e ações para conscientizar a população sobre a prevenção de golpes digitais.

Segundo a entidade, os bancos investem mais de 2,5 milhões por ano em cibersegurança para garantir maior segurança aos seus clientes. Outras formas para evitar golpes, segundo Maria Cristina, é ter cuidado com links, muitas fraudes acontecem quando estes são enviados, com o objetivo de instalar um vírus em seu aparelho ou roubar suas informações.

A Febraban, alerta que os bancos não pedem o cartão de volta e não mandam portadores buscá-lo em sua casa. E nenhum funcionário da instituição irá entrar em contato avisando sobre contas inativas. Outra forma de combater os crimes, é a Operação Tentáculos, uma cooperação firmada entre a instituição e a Polícia Federal para o combate a fraudes eletrônicas bancárias. A força tarefa já foram deflagradas mais de 60 operações.

Veja também últimos posts.